domingo, 13 de março de 2011

Vai uma mineirinha, uai?

Não é de cachaça que estamos falando, esse final de semana tivemos a oportunidade de provar uma pequena amostra de algumas cervejas artesanais mineiras. O resultado só podia ser bão, uai!

A Carolweiss é feita pela Taberna do Vale, do Felipe Viegas, que é um dos grandes difusores da bebida em Minas Gerais. Cerveja de trigo, alaranjada, com generosa carbonatação e formação de espuma, ótimo corpo, sabor forte e frutado com predominância de banana e cravo, mostrou-se fiel ao estilo. Aromática, foi uma bela surpresa, com bom drinkability e persistência de suas qualidades ao longo da degustação.

Ao beber a Grimor 3, uma Amber Lager, percebe-se o cuidado em produzi-la. Não só pelo rótulo, muito bonito, mas pela bela cerveja artesanal que é. Agradou pela lupulagem saborosa, bom amargor final, e pelo caráter de malte tostado. Um tantinho a mais de corpo e ia torná-la ainda melhor! Ótima!

Da Jambreiro, provamos 3 rótulos Kölsch (LebensKraft), a Blondie (Summer Ale) e a Brown Ale (Bâdil). As duas primeiras poderiam ter um pouquinho mais de carbonatação (a Blond um pouco mais de corpo também) e menos caráter de frutado de fermentação e mais de malte, mas se mostraram muito fáceis de beber!! O destaque ficou bem nítido para a Bâdil, cor castanho escura, espuma muito bonita e cremosa, com aroma de lúpulo herbáceo e bastante tostado, que lembrou sementes do café e castanhas. Na boca, muito equilibrada e saborosa, percebe-se o lúpulo e principalmente o caráter do malte tostado, que também contribui no amargor. Acabou rapidinho, bela brown ale artesanal!

Um brinde às artesanais mineiras! Belo trabalho das três!

sábado, 12 de março de 2011

Mamãe Bebidas - tem vaga pra frentista?



Já se foi o tempo no qual as lojas de conveniência em posto de gasolina só vendiam produtos de terceira linha, levando fama de lugares sujos e mixurucas. Se aqui em São Paulo a Adega Tutóia costuma ser uma boa opção para buscar ou tomar ali mesmo uma cerveja no posto Shell, em Belo Horizonte existe o posto da Mamãe, ou Mamãe Bebidas (Av. do Contorno, 1955 - @mamaebebidas), o paraíso escondido nas lojas de conveniência de um posto de gasolina BR.

Através da internet, e mesmo sem ter site, chegamos ao contato da Ana Carolina Patrus, conhecida pelos cervejeiros por trabalhar com preços malucos, super competitivos. Ficamos admirados com o atendimento e a rapidez na troca de emails, ela mandou uma carta de cervejas imensa, com preços excelentes! Solicitamos alguns rótulos, que chegaram em perfeito estado, muito rápido, devidamente protegidos. Despacharam na quinta e na sexta a caixa já estava em casa! Sucesso total!

Atualmente, sem dúvida a Mamãe é um dos grandes lugares para se comprar cervejas nacionais e importadas, merecendo recomendações! A AcervA Mineira até já entrevistou o pessoal do posto, vejam só AQUI!

Para os interessados em ver o menu cervejeiro, enviem email para mamaebebidas@mamaebebidas.com.br

Saúde e vida longa a Mamãe Bebidas!
ps.: e que continuem trabalhando com preços competitivos e bom atendimento!

sexta-feira, 11 de março de 2011

Degustação Rofer na Adega Tutóia

Em tempos de Carnaval tivemos o grande prazer de degustar na Adega Tutóia, capitaneada pela Néia (uma das melhores vendedoras que já conhecemos), a cerveja Gold da cervejaria ROFER, da cidade de Itupeva, que fica entre Jundiaí e Campinas. A filha dela, que fez o curso de biersomellier da ABS juntamente com o Evandro Zanini, grande conhecedor e cervejeiro quem foi o responsável em dar todo o suporte para a evolução da ROFER, nos presenteou com uma garrafa da cerveja Gold que ela mesmo acompanhou o envase. Cerveja fresquinha, valeu a espera de uma semana da Néia que guardou ansiosamente a cerveja para provarmos.

No copo, uma cerveja dourada transparente, com boa formação de espuma. Aroma inicial de malte, que aos poucos vai se misturando com um aroma levemente frutado e de lúpulo. Na boca, é refrescante, levemente frutada, e com um amargor final muito suave. Gostamos da ROFER e esperamos provar os outros estilos, que segundo o encarte, são feitos na versão chopp Pilsen, Escuro(?!) e Ale (?!). É esperar pra ver se as outras versões também agradam pelo equilíbrio e leveza.

Um brinde!